terça-feira, 12 de novembro de 2013

11 DE SETEMBRO DE...

O 11 de setembro foi uma data que revelou a que ponto a barbárie humana pode chegar. Milhares de pessoas morreram sem necessidade. Milhares de outras pessoas perderam suas vidas em decorrência deste evento. Milhares...

11 de Setembro de 1973 foi uma das datas mais trágicas para a história do Chile. Do seu povo, para ser exato. Povo que elegeu um presidente (Salvador Allende) que vinha tentando dialogar com todos setores da sociedade, mas não tinha o apoio da mídia e dos grandes grupos corporativos estrangeiros - mais interessados em obter lucros com as minas de cobre chilenas a custos irrisórios, entre outras coisas. E os EUA? Os EUA estavam apavorados com essa iniciativa do povo chileno. Apavorados pela "ameaça" do comunismo dominar esse pequeno país, de 1 milhão de habitantes na época (algo por aí), com uma economia pesadamente centrada no cobre, que estava em busca de melhorias na qualidade de vida. Seu líder buscava uma maior integração entre as classes e queria promover uma justiça social. Pacificamente.

Ataque ao Palácio "La Moneda" - 11/09/1973
O filme "Machuca" é um ótimo exemplar, que revela esse Chile pré-golpe. Um Chile encabeçado por um governo em busca de integração, valorização do trabalhador. Um país interessado em fornecer educação para todos, sem distinção de renda. E com adeptos de vários setores, inclusive da Igreja, que viam a necessidade de criar uma realidade mais humana para que o país pudesse crescer socialmente e culturalmente.

Os bombardeios midiáticos intermitentes atrasavam as tentativas de melhorias - já difíceis de serem conseguidas. As minas de cobre tiveram greves fomentadas por agentes estrangeiros, via penetras, com objetivos escusos de prejudicarem a imagem do novo presidente, minando sua reputação através de imagens e fatos distorcidos e adaptados para agradar os olhos e ouvidos das classes que jamais entraram numa mina (mas lucravam muito com o trabalho desumano praticado lá dentro). E - principalmente - para permitir ao governo estadunidense uma intervenção oculta para o "bem da democracia". Recomendo assistirem a trilogia “A Batalha do Chile”, um excelente documentário que relata os bastidores dos movimentos que ocorreram no país no período pré-golpe (1970-1973).

O "bem da democracia" que os EUA buscaram incessantemente consistia em inserir diversos agentes da CIA para desestabilizar um país já instável. O resultado foi o fim de um governo democrático e a instauração de uma ditadura que durou quase duas décadas e teve um saldo de mais de trinta mil mortos e desaparecidos - dá na mesma. Eis a herança do 11 de Setembro de 1973. O primeiro 11 de setembro marcante e cruel e sanguinário e desumano. O primeiro e (infelizmente) o menos lembrado pela maioria dos círculos sociais.
Como se houvesse uma escala hierárquica entre os povos, colocando os chilenos muito abaixo dos norte-americanos (nada contra o povo desse último país. só penso que seres humanos são seres humanos e crimes contra pessoas são iguais em qualquer parte do mundo...me parece razoável).

Cartaz do filme "Machuca", de Andrés Wood.
Nada basta para quem está ou quer estar no poder. A maior democracia do mundo só pode fazer jus ao “maior” por causa da extensão territorial. Nada mais.

Quanto foi dito a favor da liberdade de TODOS os povos na Guerra de Independência deflagrada em 1776. Quantos ilustres norte-americanos no poder não garantiram que seu país, além de defender a liberdade de expressão em seu país, defenderiam a liberdade de expressão de outros povos. E no entanto as intervenções vieram: Chile, Brasil, Argentina,...Toda América Latina deveria ser salva de “ditaduras”. E ao removê-las, instalaram-se “governos democráticos” que assassinaram mais gente, pioraram os indicadores sociais e culturais, e geraram segregação social e concentração de renda (sendo uma consequência da outra). “Ah...mas a economia se estabilizou e melhorou...” você pode me dizer. Mas para quem? E de que forma? O dinheiro ficou no país? E, se foi gerado tanto, porque em vinte anos não foi aplicado no povo. Em sua saúde, sua seguridade social, sua educação, seus espaços públicos, centros culturais, bibliotecas, parques e jardins. Por que?, me pergunto – e te pergunto. Porque se fosse aplicado em áreas de interesse comum, com certeza as estatísticas não seriam tão decadentes durante a ditadura.

É triste dar a impressão de que você defende algo, mas que na verdade você não está realmente interessado em defender esse algo, e sim usar essa defesa (por exemplo, ser a favor do desenvolvimento social, como Pinochet alegava) de subterfúgio fins maléficos – como torturar quem pense diferente ou coisas do tipo. Foi esse o caso não apenas do Chile mas de todos países latino americanos. E do Iraque. Ah...o Iraque.

Me pergunto porque a Arábia Saudita, cujo governo é extremamente autoritário, falocêntrico e indiferente com o povo, não é invadido pelos EUA. Será que o fato do FLUXO de petróleo ser garantido faz essas características se tornarem meros detalhes? Porque, convenhamos, em 10 anos de ocupação norte-americana (2003-2013), mais de 100 mil civis morreram baleados ou por bombas ou coisas do tipo. Se pegarmos as estatísticas durante TODO regime de Saddam, não há uma taxa de mortalidade tão alta. Será que é essa a PAZ e a DEMOCRACIA e a ESTABILIDADE que os EUA queriam implantar? Não estou defendendo Saddam – que foi igualmente sanguinário. Defendo apenas a pura liberdade. E ataco todos aqueles grandes países que se aproveitam de pequenos focos autoritários para fazerem o papel de Paladinos da Liberdade enquanto drenam sistematicamente recursos (não-renováveis) desses pequeninos econômicos. É apenas isso que estou querendo exprimir – e espero que não esteja sozinho.

E pior: os recursos drenados sistematicamente, que se convertem em TRILHÕES de dólares através da indústria, são usados para mais invasões e um consumo que é estúpido e insano e sem sentido (em sua maioria) e que só afasta e ilude as pessoas. Afasta e ilude. Afasta e ilude...

Mas eu estou desviando o assunto, que é o Chile de 11/09/73.

O estrago causado pelo 11/09 no Chile só será reparado por completo – material e espiritualmente – daqui a milhões de anos. E para haver esse reparo essa data deve ser reconhecida pelos gigantes poderosos que fomentaram os eventos fatídicos.

Eu lamento por todos os 11 de setembro que houveram.

Salvador Allende (1908-1973), presidente chileno eleito democraticamente,
 e deposto autoritariamente (por vias econômicas, midiáticas e militares).
Esses eventos são consequência de um modo de agir ganancioso por parte de indivíduos e – consequentemente – de nações e corporações-nações, cujas políticas “desenvolvimentistas” se norteiam no puro e simples lucro, atropelando qualquer variável sócio-cultural, ambiental, biológica ou trabalhista.

Para evitarmos mais atentados terroristas devemos mudar (sim, todos nós, inclusive eu e você) nossa postura diante do mundo. Precisamos estudar e encontrar as reais causas de um acontecimento trágico. Um acontecimento que pode ter sido fomentando ao longo dos anos, décadas e (às vezes ) séculos, e cuja condenação geralmente é direcionada para um foco que serviu de estopim para o evento. No entanto, esse foco é tão maléfico quanto milhares de líderes cultuados que criam todas condições para que milhares de revoltas ocorram (longe de seus palácios, geralmente e de preferência...para eles). Mas isso é pouco perceptível.

Os problemas da humanidade só serão resolvidos quando soubermos identificar a real causa deles e atuarmos eficazmente sobre os mesmos.



Dicas de filmes e documentários relacionados:

11 de Setembro” (trecho de Ken Loach) → Este é o que mais vale a pena por ser bem sintético


A Batalha do Chile”
http://www.youtube.com/watch?v=L_JHLTeRHr8 (Parte 1: A Insurreição da Burguesia)
http://www.youtube.com/watch?v=ThjqyI01zaY (Parte 2: O Golpe de Estado)
http://www.youtube.com/watch?v=xfpb-PBfZj8 (Parte 3: O Poder Popular)


Machuca”

Nenhum comentário:

Postar um comentário